sábado, 21 de março de 2015

Queimando a língua com a Cielo

Olá investidores,

Navegando no mundo da internet, encontrei uma verdadeira pérola em um blog da nossa comunidade que merece ser compartilhada com todos nós. Estou falando de um post do blog Bolsa Feliz. Em postagem do dia 17 de agosto de 2009, ou seja, há quase seis anos atrás, nosso amigo meteu o pau na Cielo, basicamente, porque a compra da mesma havia sido indicada pela corretora do Banco do Brasil, que é um dos acionistas majoritários da empresa, junto com o Bradesco.

Vejam no post que ele "analisou" todos os indicadores fundamentalistas da empresa e CRAVOU que era uma péssima compra. Está certo que em 2009 ninguém sabia que a CIEL3 seria um fenômeno de rentabilidade, contudo, a atitude do nosso amigo foi muito precipitada.

Uma empresa que tem os dois dos maiores bancos do Brasil no controle dela certamente não está para brincadeira. Além disso, o segmento em que a empresa atuava e continua atuando é muito promissor, afinal, a penetração de cartões ainda é baixa no país e as pessoas preferem pagar tudo na maquininha pois vivemos em um dos lugares mais violentos do mundo!

Além disso, o post dele prova, mais uma vez, que se a empresa é boa é o que importa. Reparem que ele fez várias contas típicas da manada e chegou a essa conclusão, segundo ele:

"Ou seja, é pagar 152 vezes o que vale o patrimônio da empresa para obter o retorno do investimento em pouco mais de 21 anos."

É evidente que essa afirmação é um absurdo! Quem está comprando Cielo desde 2009 deve estar com uma rentabilidade de uns 500%, considerando o reinvestimento dos proventos. Mas, pasmem, ele chegou ao absurdo de comparar a nossa querida Cielo com as empresas falidas do Eike Batista!

"Que barbada... Melhor que essa na bolsa, na minha opinião, só mesmo INET, KEPL, MMX e ECOD. Como já tenho estas na carteira, só falta agora comprar VNET3, aguardando chegar no preço-alvo esperado pelo pessoal do BB Investimentos."

Enfim, nosso amigo do blog Bolsa Feliz chutou o pau da barraca e escreveu muita besteira sobre a CIEL3... A lição que tiramos disso? A que o Bastter sempre fala. Empresa boa é boa a qualquer preço. Empresa ruim é ruim a qualquer preço.

Vale ressaltar ainda que a Cielo chamava-se Visanet antes, logo, o seu ticker de negociação no mercado era VNET3. E o mais curioso é que a KEPL3, que ele também citou, deu a volta por cima e virou uma empresa boa, rs. Mas o que eu quero saber é qual é a sua opinião sobre esse caso e quais são as lições que podemos tirar dele?

Abraços a todos!

24 comentários:

  1. Para mim a lição e que ninguém pode prever alguma coisa. investir em ações no Brasil, em 99% dos casos é loteria. O país parece que não gosta de empresário. Lição dois: o sucesso de empresa no Brasil está ligado ao quanto o governo não pode intervir no seu setor. Não sei em que medida o Bacen poderia limitar a cie lo, mas tb vemos uma postura complacente do Estado com o setor financeiro - talvez aí o grande sucesso. E minha terceira lição: o comentador pode ter partido da idéia de que como o bb é acionista a recomendação teria sido feita com conflito de interesses - a julgar o histórico não foi isso que ocorreu. Mas aqui e difícil separar o joio do trigo: opinião conflituosa e opinião de analista isento.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. TL,

      Respeito sua opinião, mas discordo. Não acho que o investimento em ações seja loteria, mesmo no Brasil. O fato é que empresas bem administradas conseguem passar por cima de tudo, inclusive o PT.

      Sobre o segundo ponto, concordo, afinal, o governo adora intervir nos setores, o elétrico que o diga... E o financeiro, sem nenhuma dúvida, é o melhor setor da Bolsa.

      Para encerrar, realmente ele pode ter pensado dessa forma, contudo, valia a pena analisar a empresa com carinho e ver que seu case era e continua promissor.

      Abraços.

      Excluir
  2. Não custa nada lembrar também que Cielo é uma dessas empresas diferenciadas que não precisa fazer altos investimentos para erguer o seu negocio como uma indústria ou uma companhia de mineração, etc. A margem dela acaba sendo bem alta e a concorrência dela nos últimos anos foi bem mais ou menos.
    A analise do moço citado foi bem superficial, pra não dizer ruinzinha...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. IB,

      Exatamente! O negócio dela é relativamente simples, funcional e eficiente. Mas o que eu quis mostrar mesmo é que análise de empresas é arte e não matemática.

      Se fosse fácil assim, todos os matemáticos do mundo que investissem em ações seriam milionários.

      Abraços.

      Excluir
  3. Cielo eu tenho desde 2012, certamente é a empresa junto da Ambev que mais me deu retornos e acredito que além da gestão muito eficiente, a marca acaba tendo um papel muito relevante, muito gente associa as maquininhas a Cielo e hoje é uma das 20 marcas mais valiosas do País. Além disso tem grande parte da fatia do mercado de transações por cartão, além de criar muito valor para seus acionistas minoritários como bonificações praticamente todos os anos e resultados extraordinários trimestre a trimestre, precisa mais alguma coisa? Tem uma matéria sobre a valorização nos últimos anos e bateu 350% sem os dividendos e bonificações ou seja uns dos melhores investimentos dos últimos anos e concordo contigo que seja uma arte todas as variáveis e uma tarefa super complicada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Fábio,

      A sua visão está perfeita! O mais curioso, ou seria engraçado, é que as empresas "caras" da Bolsa são as que mais vem dando retorno nos últimos anos do nosso prolongado bear market.

      O negócio da Cielo é o do tipo que até um idiota saberia tocar e que certamente contaria com a aprovação do nosso ídolo Buffett.

      A gestão dela preocupa-se 100% em gerar valor para o acionista, como você bem citou. E o fato de termos o Bradesco no comando dela é certeza de bons resultados.

      Abraços!

      Excluir
  4. Sobre precificação existem casos e casos. Primeiro eu vejo que se tratando de mercado brasileiro de ações onde as opções sao infinitamente mais reduzidas que o mercado americano acaba colocando precificação como algo praticamente inutil. Aqui você não vai achar uma empresa boa a um preço abaixo do seu valor intrínseco mas no mercado americano você encontra muitas empresas nessa situação, afinal aqui são umas 300 empresas que você tira ai 10 (acho que estou sendo otimista) no máximo que você pode comprar com tranquilidade já no americano você tem +1900 onde encontra umas 500 (sendo pessimista) com excelentes números. Chega a ser ridículo mas é a lei da oferta e da procura. Enfim depende do mercado onde o cara está inserido.

    A grande questão é que os caras pegam estudos de precificação do mercado americano e querem aplicar na bolsa tupiniquim. Nunca vai funcionar.

    Pela análise do cara você já vê que ele não entende nada do que está falando. Querer utilizar patrimônio para parâmetro de preço é algo totalmente sem noção.

    Nesse ponto o Bastter tem razão muita gente não sabe o q faz e sai falando de preço, por isso ele diz que não é para olharmos isso pq a grande maioria não estuda direito ou quer utilizar um estudo americano no mercado brasileiro.

    O pessoa coloca o preço como fator condicional e decisivo para um investimento em ação. Enquanto que o case de negócio é o fosso competitivo, são os principais fatores para aceitar uma empresa.

    A análise que vc fez nesse artigo foi certeira o cara esqueceu o case de negócio da cielo e o fato de ter dois principais players por traz.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grande VD,

      Concordo com você meu amigo. Usar precificação não é garantia de nada. Mas o pior de tudo é usar ela para fazer pequenas compras mensais, que é o que todo mundo que faz B&H faz ou deveria fazer.

      Até acredito que possam existir algumas "oportunidades", contudo, preço importa apenas para quem faz trade e compra muito de uma vez só.

      Sobre as empresas boas aqui no Brasil, eu seria mais otimista que você e acho que 25, ou seja, 5% das empresas listadas em nossa Bolsa prestam.

      E dentro esse grupo temos algumas unanimidades como ABEV3, CCRO3, CIEL3, ITUB3, MDIA3, TBLE3, que são empresas que caem bem em qualquer carteira na minha opinião.

      Acredito que mais do que usar fórmulas prontas no mercado é achar que a pessoa é esperta e o mercado é trouxa. Essa autoconfiança é o caminho para o buraco na maioria das vezes.

      Veja só, atualmente a PETR3 está cotada em volta dos dez reais, certo? Eu já li por aí que a empresa está de graça e que o seu "preço justo" seria na casa dos trinta.

      Mas o que é o preço justo? Pela gestão atual da empresa, ela não vale nem um real para mim. As pessoas adoram procurar a oportunidade de ouro, mas esquecem que toda grande queda tem uma explicação, exceto no caso de crise sistêmica, como em 2008.

      E sim, você está 100% correto quando afirma que os fatores mais importantes para ser sócio de uma empresa são o seu modelo de negócio, a sua vantagem competitiva e eu acrescentaria também a governança corporativa.

      Abraços!

      Excluir
  5. IL3, concordo plenamente com a citação acima do Bastter. E para ter sucesso em qualquer segmento na vida, também é preciso ter humildade. E se o cidadão tivesse alguma dúvida poderia contactar o RI da empresa, e ou, visitar a empresa. Já fiz isso, visitei duas empresas e fiquei impressionado, moral da história: virei acionista.
    Ótimo post, Remember!

    Grande abraço!
    Bagual

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amigo Bagual,

      É isso aí! Mais do que números, devemos sempre lembrar que por trás de uma ação existe uma empresa, que, se bem administrada, vai trazer um ótimo retorno para o acionista minoritário.

      Quais foram as empresas que você visitou e tornou-se sócio?

      Abraços.

      Excluir
    2. Bagual,

      Ótimas escolhas meu caro!

      Abraços.

      Excluir
  6. Penso q concordamos naquele 1% a q me referi.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. TL,

      Eu ainda acho que dar apenas 1% de credibilidade para as empresas brasileiras é muito pouco, rs.

      Abraços.

      Excluir
  7. Pessoal, quais ações devo comprar? recebi uma grana de herança e tô na dúvida. abs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo,

      Eu e ninguém da blogosfera vamos dar dicas a você. O que eu recomendo é estudo, muito estudo, e que você monte a sua carteira de ações por si próprio.

      Abraços.

      Excluir
  8. IL,

    Realmente CIEL tem dados espetaculares.

    Analisando a CIEL rapidamente em 2009 sob os critérios fundamentalistas:
    - 4 anos com crescimento de receita
    - 4 anos com crescimento de lucro
    - 4 anos com crescimento de margem
    - trabalhando sem dívidas
    - FCL robusto

    Ou seja, uma excelente empresa.
    O que o Bastter tenta martelar na cabeça da gente faz muito sentido pra mim, ainda mais vendo esse tipo de post: o cara perdeu um tempão pra tentar provar que a empresa tá "cara". Viajou, analisou P/L, P/VPA, LPA, todos os indicadores. Do que essa análise serviu, de fato? Só sei que aa data do post dele até hoje, a CIEL3 valorizou 297%.

    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. PR,

      É isso aí, a ideia é exatamente essa. O investidor tem que preocupar-se com a qualidade da empresa e não com coisas inúteis.

      Abraços.

      Excluir
  9. hoje 20/01/2017 vocês devem estar pensando diferente .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo,

      Não senhor!

      A Cielo continua sendo uma empresa forte, lucrativa e sólida. Já o futuro, só o tempo dirá...

      Abraços!

      Excluir
    2. hoje, 23/01/2017, eu penso a mesma coisa que antes: cielo é uma máquina de fazer dinheiro, lucro continua crescendo, receita continua crescendo, a dívida de 2015 por causa de um grande investimento cai absurdamente a cada trimestre, fluxo de caixa livre bilionário, enfim, a empresa continua forte... se vai continuar assim, não sabemos, mas faz 5 anos que todo mundo diz que a concorrência vai foder a cielo, que o governo vai foder a cielo, que os deuses vão foder a cielo, e a cielo só cresce e traz lucros a cada trimestre, com forte candidata a repetir o feito da souza e cruz: não sei quantos trimestres seguidos de lucros... acho que o pessoal tem que estudar mais antes de bostejar...

      Excluir
    3. Anônimo,

      Perfeito!

      Quanto mais o pessoal bate na Cielo, mais resultados ela entrega. Vamos ver até quando vai continuar assim...

      Abraços!

      Excluir
    4. Saiu o balanço anual e o resultado? Mais lucro.
      Esse pessoal não aprende.

      Excluir
    5. Anônimo,

      Pois é... Desde 2009 estamos ouvindo besteiras sobre a Cielo, e, de lá para cá, ela não para de calar a boca de todos que fizeram isso.

      Que continue assim!

      Abraços.

      Excluir