segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

Jamais seja sócio de empresas estatais

Olá investidores,

O título do post que eu estou fazendo explica (quase) tudo que abordarei. O investidor que utiliza a estratégia Buy and Hold não deve acumular papéis de empresas cujo o Governo seja o sócio majoritário, ou seja, o dono.

E por que eu estou afirmando isso? Porque, ao contrário das empresas privadas, que atuam no sistema de lucros e prejuízos, uma empresa estatal, não precisa preocupar-se em lucrar ou não. O lucro, que é o objetivo máximo de qualquer organização, passa a ser uma coisa irrelevante.

Isso acontece porque, na pior das hipóteses, o Tesouro, ou seja, nós, pagaremos a conta! Entenderam esse paradoxo? Uma empresa estatal não precisa preocupar-se em lucrar pois ela conta com a garantia do Estado.

Sendo assim, como uma empresa que não visa o lucro poderá ser boa para o acionista, ainda mais no longo prazo? É óbvio que elas lucram e vão continuar lucrando, contudo, definitivamente não vale a pena investir nelas quando comparadas aos seus pares privados!

Vamos citar alguns exemplos? O Banco do Brasil, por exemplo, é um banco lucrativo e sólido, correto? Contudo, compare-o com o Bradesco e o Itaú. Veja que essa dupla tem balanços muito melhores! E isso acontece porque eles são geridos de forma profissional, visando o retorno ao acionista, ao contrário do banco do Governo.

Fora isso, recentemente vimos que o famigerado Anthony Garotinho, um bandido de marca maior, provavelmente ocupará uma DIRETORIA do banco! O que esse pilantra entende do setor bancário? Absolutamente nada, mas como o banco é do Governo, ele pode abrigar os seus apadrinhados políticos lá dentro.

Alguém realmente acha que isso aconteceria em um Bradesco, por exemplo, com a sua cultura de meritocracia, sendo que o atual presidente do mesmo, Luiz Carlos Trabuco, está lá desde a adolescência e passou por todos os cargos até chegar ao topo da hierarquia?

E a Petrobras então? Uma organização criminosa instalou-se na empresa, desviou bilhões de reais e a diretoria e a presidente não são demitidas porque o Governo não quer! Será que é possível imaginar algo parecido com isso acontecendo na ExxonMobil, na Shell ou na Total, por exemplo?

Mas o problema não é apenas no âmbito federal... Temos exemplos nos estados também! A Cemig, por exemplo, começará a ser gerida pelo PT. E mesmo nos tempos do PSDB, ela nunca foi um primor de empresa! Mas o fato é que é apenas uma questão de tempo para que os escândalos comecem a pipocar nela. Quem sabe não teremos um Cemigão?

Já a Sabesp atua em um segmento fantástico, contudo, ela não visa o lucro e a administração estatal do PSDB é tão ruim que chegamos ao ponto dela pedir para você ECONOMIZAR água. Deu para entender o absurdo? Uma empresa pedindo para você DIMINUIR o consumo do seu principal produto?

Seria o mesmo que a Coca-Cola pedir para você parar de tomar o refrigerante! O Governo não sabe sequer governar, é só olharmos para os lados e vermos a péssima situação da educação, saúde e segurança. Se ele não sabe nem fazer o que seria da responsabilidade dele, é mais do que evidente que ele jamais saberá administrar uma empresa de forma lucrativa e profissional.

A mensagem que eu quero passar é essa. Fuja igual o diabo foge da cruz de empresas estatais. Não interessa qual é o partido que está  no poder, todos são a mesma porcaria. Seja sócio de empresas boas que sejam privadas e fique atento com as pegadinhas, como a Vale, que é "privada", mas quem realmente manda nela é o Governo!

Abraços a todos.

30 comentários:

  1. IL, nao entendi. No inicio do mês vc colocou a SBSP no seu top five e agora escreve q devemos fugir dela?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo,

      O segmento que a Sabesp atua é FANTÁSTICO. O grande problema é o fato dela ser gerida pelo Governo. Considere a Cielo no lugar dela, visto que eu fiz uma menção honrosa a mesma.

      Abraços.

      Excluir
  2. IL,

    Esse é um critério muito interessante. Tenho PETR e CMIG na minha carteira, porém eu aceitei elas serem do governo antes de entrar, então não posso reclamar.
    Vou fazer nessas empresas o mesmo que faço nas outras: acompanhar os balanços. Se piorar tomo minha decisão. Se continuarem bons, sigo na mesma.
    No caso da PETR nem balanço divulgado tem, o que é bem grave, além do que mesmo os balanços anteriores estão bem ruins.

    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. PR,

      Os balanços até podem ser bons, contudo, eles seriam MELHORES caso a empresa fosse privada. Esse é o X da questão.

      E, como você mesmo disse, a administração do Governo chegou ao cúmulo de sequer conseguir publicar o balanço de um trimestre da PTbras!

      É absolutamente deprimente...

      Abraços.

      Excluir
  3. Permita-me discordar, já que empresas de economia mista são, normalmente, boas pagadoras de dividendos, dada a necessidade de suprir o Estado com seus lucros. Por isso prefiro BBAS a ITUB ou BBDC. PETR está com DY bem atraente, e possui dividendos obrigatórios bem gordos, e está com ótimos múltiplos, já que o mundo todo está com medo dela. ELET é mais delicado comprar pois está dando dividendo sem lucro, mas ainda assim está com bons múltiplos.

    Justamente por serem inquebráveis (administração indireta não pode falir, por lei) são ativos atrativos, e o desconto que os investidores dão por ter a mão do governo é muito grande. Ah, e não se esqueça do caso Enron. Maracutaias existem por toda a parte. Todas as empreiteiras envolvidas no caso da PETR são privadas, a sorte é que não são listadas na bolsa.

    E deve vir mais uma vaca leiteira por aí, já que a Caixa pode vir a fazer IPO em 2015... CEFE3 ou CAIX3?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo,

      É exatamente por isso que elas são péssimas opções de investimento. O Estado está interessado apenas em mamar nas tetas delas e sugar todos os lucros, pouco importando-se com os acionistas minoritários.

      Concordo que fraudes podem acontecer em qualquer empresa, contudo, os fatos provam que uma administração privada está anos luz de distância da administração estatal.

      Sobre a Caixa, a grande verdade é que ela deve estar quebrada e o Governo está desesperado para arrecadar recursos dos otários que comprarem as ações no IPO...

      Abraços.

      Excluir
    2. ELET já não paga mais dividendo, pois todas as resevas de lucros foram esgotadas e dependendo do tamanho do impairement da Petro ela também ficará sem pagar dividendos esse ano, caso ela tenho prejuízo no resultado líquido de 2014.

      Yeah, acabou o dinheiro do governo.

      Sobre a CAIX3, ninguém mais cairá nesse conto depois do trágico re-IPO da Petro.

      Excluir
    3. Land,

      Exatamente! Como já dizia Milton Friedman, não existe almoço grátis. A respeito da Caixa, entrar no IPO dela certamente será loucura.

      Abraços.

      Excluir
  4. I.L não era você que adorava a Sabesp?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo,

      Eu adoro o segmento em que ela atua. É uma pena que não tenhamos na Bolsa uma Sabesp "privada".

      Abraços.

      Excluir
    2. Ainda não entendo a tara por este segmento, não sei o que o I.L. viu nele, rs.

      Excluir
    3. UB,

      É uma questão de preferência uai, rs.

      Abraços.

      Excluir
  5. Respostas
    1. Bagual,

      Cuidado com esse Banrisul, rs.

      Abraços.

      Excluir
  6. Se estatais são um lixo, então explique como grandes conglomerados privados de gestão "profissional" foram a falência no passado!

    Falou muita besteira no post. Dimarcinho vai adorar. Não vou nem discutir; vai que é doença!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Troll,

      Ninguém disse que empresas privadas são infalíveis. A comparação é entre empresas de economia mista e empresas privadas.

      E até uma criança sabe que a gestão das privadas é infinitamente melhor. Não faça-se de burro, pois você sabe que as empresas de economia mista não quebram justamente porque o Tesouro (nós) banca a parada.

      Abraços.

      Excluir
    2. Não adianta ficar nervosinho e soltar a franga, IL. Sua opinião pode ser válida para você, mas está longe de ser verdade absoluta. O fato de uma estatal ser menos suscetível à quebra é um ponto fortíssimo que deve ser levado em consideração sempre.

      Além do mais, sua opinião é baseada unicamente por conta de memória seletiva. Você jamais teria bagos para escrever esse post entre 2004 e 2007, quando tudo subia euforicamente.

      Excluir
    3. Troll,

      Eu não estou nervoso não rapaz, rs. É evidente que eu não sou o dono da verdade, contudo, no MEU blog eu exponho as MINHAS opiniões e ninguém é obrigado a concordar com elas.

      No período citado por você tudo subiu, mas certamente as empresas privadas tiveram um desempenho melhor do que as estatais.

      Abraços.

      Excluir
    4. Na boa, IL, esse post foi horrível.
      Aliás, não sei o que foi pior, sua conclusão baseada no achismo (será que OGX teve gestão melhor do que PETR4, ou o Banco Santos - o fato de não ser de capital aberto não muda nada - gestão melhor do que o BBAS, ou ELPL melhor que CMIG?) ou a conclusão do Troll, que se acha muito sabichão...
      A sociedade de economia mista não vai à falência, mas o minoritário é diluído em caso de aporte. Como a busca pelo lucro é "menos selvagem", no final das contas o risco x retorno é quase o mesmo...

      Excluir
    5. Anônimo,

      Fique absolutamente à vontade para achar isso, rs. A questão é que é injusto você comparar empresas privadas de péssima gestão com as estatais que são inquebráveis.

      E se trocarmos a OGX, o Banco Santos e a Eletropaulo pela Ultrapar, o Itaú e a Tractebel? Essas três empresas privadas dão uma surra em todos os aspectos nas suas correspondentes estatais.

      Abraços.

      Excluir
    6. IL, essa pode ser sua opinião, mas ninguém liga pra ela. Não adianta se apoiar em supostos argumentos lógicos, pois você será contrariado quando o mercado detonar suas certezas. Quando se trata de renda variável, a melhor postura é ter a mente aberta e evitar usar palavras taxativas como "nunca" e "sempre".

      Excluir
    7. Troll,

      Acho que você está confundindo as coisas. O que eu quis provar nesse post é que administração privada > buraco negro > administração estatal.

      Isso não tem nada a ver com a percepção do Mercado.

      Abraços.

      Excluir
  7. É isto aí I.L., aprimorando cada vez mais o portfolio.
    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grande Uó,

      Sem dúvidas amigo. A cada dia eu amadureço mais como investidor.

      Abraços.

      Excluir
  8. Olá Investidor Livre! Estamos aqui para trocar ideias e aprender mais com os colegas, más discordo de sua opinião, não vejo nenhuma elétrica com resultado tão melhor que Cemig não, Essa apresenta lucros consistentes a mais de 12 anos com boa distribuição de lucros para o acionista. Quanto aos bancos, o BBAS, é o que melhor remunera o pequeno acionista, razão de se investir em ação. A administração pode ficar ruim, más primeiramente temos que esperar os balanços anuais como de qualquer empresa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Beto,

      Não iluda-se com a distribuição dos proventos. Eles são descontados do preço da ação, e se a empresa está pagando todo ou boa parte do lucro, é sinal de que ela não está conseguindo mais crescer e expandir-se.

      A Apple e a Berkshire (empresa do Buffett) nunca distribuíram proventos e quem está comprando elas todos os meses há 30 anos hoje é milionário, por causa do enorme ganho de capital obtido.

      Sobre seus exemplos, prefiro muito mais investir nos pares privados, como GETI3/TBLE3 e BBDC3/ITUB3.

      Abraços.

      Excluir
  9. IL,

    Novamente venho aqui para dizer que as coisas não são bem assim...
    Primeiro temos que analisar a empresa e compreender qual o papel do Estado naquela determinada empresa...
    Por exemplo, existem dois porquês do Estado se intrometer a ser dono daquela empresa:

    1. Fazer com que ela continue funcionando mesmo com prejuízo
    2. Retirar o lucro para ter mais caixa para o Estado

    Estes dois porquês podem ser esclarecidos várias vezes por qualquer autor a favor do mercantilismo e do protecionismo. Pois bem, sabendo-se disso, já temos duas possibilidades de empresas estatais...
    Aquelas que não apresentam lucro e aquelas que apresentam lucro. As que não apresentam lucro, já não deveriam estar na carteira do investidor, a não ser que o mesmo aposte em um turn around, mas ai já é outra conversa.
    Dai temos as empresas estatais que dão lucro. Dessas empresas o Estado pode retirar dinheiro de duas maneiras:

    1. Através de dividendos
    2. Através de roubos e fraudes

    O segundo caso também não é interessante para o investidor, pois isso significa que você não pode confiar na governança da empresa, visto que se a mesma não sabe o que acontece na própria empresa, imagina os acionistas. Porém, no primeiro caso, a empresa pode ser interessante para o acionista, ora, já que ele tem uma empresa que presa por dividendos ao invés de prezar por crescimento.

    Veja bem, em nenhum momento disse que a governança de uma estatal é muito melhor que a outra, porque não podemos mensurar isso... Por quê? Porque seria colocar todas as empresas e todos as governanças em todos os momentos no mesmo saco... E pessoas que fazem isso caem no conto do senso comum, e isso é onde sempre devemos evitar.

    Por fim, gostaria de comentar que concordo em partes com o que você disse IL, mas não acredito que os seus argumentos sejam fortes o suficiente para mostrar que TODAS AS EMPRESAS ESTATAIS, SEM EXCEÇÕES, são um péssimo investimento em qualquer momento da nossa história.

    Uta!

    ResponderExcluir
  10. Estagiário,

    Você fez ótimas ponderações, contudo, eu sou irredutível nesse sentido. O Estado JAMAIS administrará uma empresa melhor do que a iniciativa privada, pelo simples fato de que, caso o pior ocorra, basta injetar dinheiro do Tesouro (que é nosso) na empresa.

    Isso é como se fosse uma dimensão pararela, uma coisa absurda, fora do comum! As empresas de economia mista contam com essa "vantagem competitiva" desleal. E é exatamente por isso que elas são corruptas e ineficientes.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  11. Como já disseram aí os prós e contras, prefiro diversificar e ter uma estatal e uma privada...
    BBAS e ITUB
    CMIG e TBLE

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Simplinvest,

      Se essa é a sua estratégia não há nada o que falar.

      Abraços!

      Excluir