quarta-feira, 15 de outubro de 2014

Unilever não divulga mais resultados trimestrais

Olá investidores,

Vejam abaixo um trecho de uma matéria muito interessante da Exame que mostra o título desse post e também outras coisas. Eu separei o trecho que fala dos resultados, porque, se pararmos para pensar, realmente não faz o MENOR sentido a divulgação de resultados trimestrais.

Pior ainda é tomar decisões baseado neles...

Desde que assumiu a presidência global da  gigante de bens de consumo anglo-holandesa Unilever, em 2008, o holandês Paul Polman se lançou numa batalha inicialmente ridicularizada como quixotesca. Seus antagonistas são os acionistas da Unilever, em particular, e os investidores, em geral. Poucos meses após assumir o cargo, Polman anunciou uma drástica mudança na relação da empresa com o mercado.

A partir dali, a Unilever não daria a seus investidores previsões de desempenho, uma prática consagrada entre as companhias abertas, nem divulgaria resultados trimestrais. Para Polman, se a Unilever não operava em ciclos de 90 dias em publicidade, marketing ou investimentos, não fazia sentido usar essa periodicidade na divulgação de seus resultados. Quem quisesse saber se a empresa estava no vermelho ou no azul teria de esperar um ano inteiro.

O mercado, habituado à transparência total, estrilou — mas Polman deu de ombros. Ele chegou a dizer aos investidores interessados em ganhos rápidos que vendessem seus papéis, porque eles não ficariam felizes com a nova estratégia de longo prazo da empresa. Muitos aceitaram sua sugestão: nos primeiros meses após a adoção da nova política, as ações chegaram a cair 22%. Mas, passado o susto inicial, os investidores parecem ter entendido sua proposta. Desde que Polman assumiu, os papéis valorizaram 50%.

O restante da matéria, muito bacana por sinal, está no link abaixo:

http://exame.abril.com.br/revista-exame/edicoes/1033/noticias/uma-gestao-para-o-futuro-nas-empresas

Antes que venham me atirar pedras dizendo que eu comprei e vendi algumas ações rapidamente e estou sendo incoerente, quero esclarecer novamente que no meu caso houve uma PRECIPITAÇÃO.

Fui com muita sede ao pote, e, assim, acabei comprando ações de algumas empresas na euforia, sem avaliar se eu realmente queria elas na minha carteira. Em todo o caso, estou plenamente satisfeito com meu time, e meu radar tem apenas duas empresas, no caso a DTEX3 e a KEPL3.

Abraços a todos!

2 comentários: